segunda-feira, 28 de março de 2011

ATO DE LER.

 Todo ato de compreensão envolve leitura. Desde que nasce, o ser humano faz sua "leitura de mundo", inicialmente por meio dos sentidos - visão, audição, tato, olfato e paladar -, explorando de forma sensorial o ambiente. Ao longo do tempo, ao ouvir os sons das palavras faladas, aprende a língua ouvida, um fenômeno cultural. Dessa forma, aos poucos, internaliza a linguagem e, por imitação, aprende a falar, fazendo a "leitura auditiva".
  O ser humano "lê com os olhos" toda e qualquer paisagem, objetos, pessoas... Lê cinestesicamente por meio do tato, o que também torna possível reconhecer o espaço circundante. A primeira ação executada pelo indivíduo ao nascer, portanto, é a leitura.
  Segundo FOUCAMBERT, a presença do mundo escrito está por toda parte, e o ato de ler relaciona-se diretamente ao de registrar, escrever, representar; e confirma que isso se dá desde o nascimento do bebê.  -  Já o dicionário Caldas AULETE, é a ação de conhecer, interpretar, perceber, deduzir, decifrar, rever, inteirar-se de símbolos, pronunciar as letras do alfabeto juntas e assim decodificar a palavra escrita, interpretando tudo aquilo que é passível do ato da leitura e está sujeito à compreensão do homem. Aprofundando essa questão, a palavra "ler", originária do latim, legere, significa decodificar qualquer obra submetida ao olhar, percorrida em toda sua extensão pela vista, atribuindo-lhe sentido.
   Para definir e demonstrar várias possibilidades de compreensão da palavra "ler", pode-se ir além da simples decodificação para uma complexidade maior que é a leitura, traduzida por meio das escolhas e procuras que o leitor decide fazer. Sempre deve haver ações e poder de decisão sobre o que está lendo. Ao ler, cada leitor recria uma obra, pois recorre à sua própria visão de mundo, à sua memória, seu acervo cultural, social, suas vivências e bagagem de vida. Isso significa entrar num mundo de procuras e escolhas, e preencher "vazios" com aquilo que cada leitor vê.
  Ler é absorver de forma privilegiada a cultura de diversas sociedades. Cabe ao professor trabalhar com os alunos o hábitoda leitura nas diversas áreas de conhecimento, aguçando a vontade de saber cada vez mais. Também lhe compete considerar particularidades do aluno, suas
peculiaridades, e que a partir de cada (re)leitura se abrem inúmeras possibilidades de melhor compreender e interpretar o mundo e a própria vida.
Algumas sugestões de Leituras com a família ou escolar: Os Paradidáticos.
Idades :
5 a 6 anos - Cada Um Mora Onde Pode - autor: Ziraldo - ressalta a importância da vida em família.
6 e 7 anos - A Mulher Que Falava Para-Choquês - Autor: Marcelo Duarte- ressalta a descoberta da leitura nas propagandas .
7 e 8 anos - Felpo Filva - Autor: Eva Furnari - ressalta que ninguém é perfeito e que a deficência mais grave  que uma pessoa pode ter é a de caráter.
8 e 9 anos - A Árvore da Família - autor: Maísa Zakzuk - ressalta  conhecer a história de nossa família descobrindo sua árvore genealógica.
9 e 10anos - E Se Fosse Com Você? Uma História de Bullyng. - autor: Sandra Saruê e Marcelo Boffa - ressalta a questão do bullyng, expressão moderna que trata de um problema nada novo: a humilhação que muitos alunos sofrem na escola...
10 1 11 anos - Menina Nina, Duas Razões Para Não Chorar - autor: Ziraldo - ressalta  a morte, mas o sentimento que predomina ao final não é a tristeza.
11 e 12 anos. O Malvado - autor: Tatiana Belinky - ressalta a discussão do tema "aparência".

Livros nâo lidos, são como tesouros perdidos. Uma boa leitura em família!.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário